Aconteceu na minha vida como utilizadora de cão-guia - Aconteceu na minha VIDA

Aconteceu na minha vida como utilizadora de cão-guia

Quando tive conhecimento de uma Escola de Cães-guia em Portugal, comecei a pensar e a imaginar como seria ter um cão-guia?

Foto: Maria Helena
A ideia foi amadurecendo e fui acompanhando e conhecendo os primeiros cães-guia e seus utilizadores. Até que um dia resolvi candidatar-me. As dúvidas eram muitas!

Quando chegou o dia tão desejado de ir para estágio e de conhecer o meu amigo de quatro patas estava muito nervosa. Como eu desejava esse dia! Foi tão marcante que ainda hoje está bem presente na minha memória.

Foram nove anos de uma vivência de 24 sobre 24 horas. Tantas alegrias. Grande companheira!

Algum tempo depois de ser utilizadora arrependi-me de não o ter sido antes.

A facilidade de mobilidade, a velocidade de deslocação, muito menos cansaço mental, a socialização, o prazer de andar a pé…
 
A grande desvantagem de ter cão-guia é perder este grande amigo. É um grande investimento afectivo para tão poucos anos.

Quando tive de reformar a Kamy, optei por andar de bengala. Passado pouco tempo, percebi que já não sabia viver sem cão por perto. Em casa era um vazio. Faltava-me uma trela na mão. Faltava-me toda aquela rotina que se estabelece com o animal.

Hoje, tenho uma nova amiga e tudo voltou ao normal. Estou feliz e tudo faço para que ela seja feliz.

Somos uma equipa de sucesso!


Escrito por: Maria Helena Fonseca
Comente no Facebook

0 comentários:

Enviar um comentário