Pub

Aos 22 anos tornei-me prostituta em Lisboa

Aos 22 anos tornei-me prostituta.

Dito assim, de um modo frio e directo, talvez possa chocar algumas pessoas. A mim não.

Coloquei a cerca de um mês e meio atrás um anuncio no jornal, discreto, diferente, pretendendo demonstrar que por detrás daquele numero se encontra, não desvalorizando ninguém, uma pessoa com algum nível, educação e formação. Foi assim que da noite para o dia passei a ganhar a vida vendendo o meu corpo.
Foto: MaisOpinião
As razoes que me levaram a fazê-lo, talvez um dia tenha vontade de as revelar, se e que existe realmente alguma que justifique. Neste momento, talvez por se tratar de algo ainda recente, não me apetece fazê-lo.
 
No primeiro dia que o anúncio saiu, ao contrário do que esperava, recebi muitos telefonemas. Os homens falavam comigo e eu não sabia muito bem o que dizer. Tentava ser o mais natural possível, apesar de não conseguir esconder na voz a ansiedade e o nervosismo que sentia. Procurava apresentar-me e responder da forma mais profissional possível as perguntas que me faziam. Em vão. Tudo em mim transpirava inexperiência. 
Creio que foi exactamente isso que me valeu, para além, modéstia a parte, da minha simpatia e boa dicção.
 
No dia seguinte tive três marcações (já não sei se do dia anterior ou feitas no próprio dia). Ganhei 600 euros o bastante para não pensar em desistir tão cedo. 

Pub