A MINHA VISÃO DE NATAL - Aconteceu na minha VIDA
loading...

A MINHA VISÃO DE NATAL

Este ano de 2016, foi sem dúvida o pior ano que me lembre em termos de mortes de artistas nacionais e internacionais. Parte deles pela maldita doença de cancro. A cultura está assim cada vez mais pobre e desmembrada. Com o encerramento do Teatro Cornucópia, também parece não vir a ajudar nada.
Foto: Rogério Rosa
Para mim particularmente, o ter saúde e ter tido mais algumas oportunidades no meio artístico, até que não foi mau de todo. A frequência do curso de teatro na Casa do Brasil com o encenador Argentino Cláudio Hochman, por exemplo, a frequência de formações profissionais de Animação Sociocultural, que apesar de desastroso, até que se aprendeu qualquer coisa e agora, a frequência do curso de formação para Técnicos Auxiliares de Saúde na AIP, parece ser mais sério e mais profissional, já que tem a particularidade de haver estágios hospitalares. Uns filmes também pelo meio, por isso, nada de mais.

O Natal, que se pode ser considerado por muitos como consumista, interesses, hipocrisias, e demais adjectivos, para mim, tem uma só conotação, não é para mim o melhor Natal, pois não há família unida, não há amigos verdadeiros, não há interesses em me convidarem para nos juntarmos todos nesta quadra. Os meus amigos continuam a ser somente conhecidos, a minha família continua a ser uma família de merda e sem qualquer interesse e quanto ao resto, tenho por família a minha esposa e a família dela.

Desejo a todos o bom Natal, e que para 2007, traga muita saúde, menos mortes, menos guerras, mais tolerância, amor, paz e felicidade e que todas as famílias, a contar com a minha, sejam mais unidos, pois nós somos tão importantes, como os que vêm a seguir a nós.

Esta foi a entrevista que termina este ano de 20016. Algo bom, onde se pode falar de nós, de tudo o que se fez, de objectivos, que queremos para a nossa vida. Sempre que haja motivo, assunto novo, um projecto, penso que se deve partilhar com o público para quem nós, actores trabalhamos. Temos de ser nós, actores pouco conhecidos a dar-nos a conhecer cada vez mais e, termos as mesmas oportunidades. Já que certos jornais/jornalistas, só se interessam por gente famosa, que já tudo se sabe sobre eles. Temos de ser nós, a contrariar esse mau jornalismo.

FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO 2017

Escrito por: ROGÉRIO ROSA-REPÓRTER/CRONISTA
Comente no Facebook

0 comentários:

Enviar um comentário