Pub

A MINHA VISÃO DE NATAL

Este ano de 2016, foi sem dúvida o pior ano que me lembre em termos de mortes de artistas nacionais e internacionais. Parte deles pela maldita doença de cancro. A cultura está assim cada vez mais pobre e desmembrada. Com o encerramento do Teatro Cornucópia, também parece não vir a ajudar nada.
Foto: Rogério Rosa
Para mim particularmente, o ter saúde e ter tido mais algumas oportunidades no meio artístico, até que não foi mau de todo. A frequência do curso de teatro na Casa do Brasil com o encenador Argentino Cláudio Hochman, por exemplo, a frequência de formações profissionais de Animação Sociocultural, que apesar de desastroso, até que se aprendeu qualquer coisa e agora, a frequência do curso de formação para Técnicos Auxiliares de Saúde na AIP, parece ser mais sério e mais profissional, já que tem a particularidade de haver estágios hospitalares. Uns filmes também pelo meio, por isso, nada de mais.

O Natal, que se pode ser considerado por muitos como consumista, interesses, hipocrisias, e demais adjectivos, para mim, tem uma só conotação, não é para mim o melhor Natal, pois não há família unida, não há amigos verdadeiros, não há interesses em me convidarem para nos juntarmos todos nesta quadra. Os meus amigos continuam a ser somente conhecidos, a minha família continua a ser uma família de merda e sem qualquer interesse e quanto ao resto, tenho por família a minha esposa e a família dela.

Desejo a todos o bom Natal, e que para 2007, traga muita saúde, menos mortes, menos guerras, mais tolerância, amor, paz e felicidade e que todas as famílias, a contar com a minha, sejam mais unidos, pois nós somos tão importantes, como os que vêm a seguir a nós.

Esta foi a entrevista que termina este ano de 20016. Algo bom, onde se pode falar de nós, de tudo o que se fez, de objectivos, que queremos para a nossa vida. Sempre que haja motivo, assunto novo, um projecto, penso que se deve partilhar com o público para quem nós, actores trabalhamos. Temos de ser nós, actores pouco conhecidos a dar-nos a conhecer cada vez mais e, termos as mesmas oportunidades. Já que certos jornais/jornalistas, só se interessam por gente famosa, que já tudo se sabe sobre eles. Temos de ser nós, a contrariar esse mau jornalismo.

FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO 2017

Escrito por: ROGÉRIO ROSA-REPÓRTER/CRONISTA

Pub


alegre (13) amor (163) Casamento (6) confições (197) destaque (180) divórcio (17) drama (12) elas (40) Ele (29) eles (38) familia (82) filhos (30) História (27) Mulher (18) Pedrógão Grande (6) Portugal (11) Relação (5) Repórter de memórias (3) Traição (10) triste (11) Viagem (10) viagens (41) vida (61)