Pub

Casei com a filha que adoptei

Eis uma história inédita, vinda dos EUA, que o Sr. John Rossi me enviou. Passo a traduzir:
 
"Queria eu dizer que, casei com a filha que adoptei, sim é verdade por mais que esta afirmação seja difícil de entender, mas passo a explicar.
 
Aos 35 anos adoptei uma criança em África. Criança esta que já tinha 15 anos. Não consegui ficar indiferente ao que via naquele País, e a forma de ajudar foi adoptar uma criança e trazê-la para o meu País, Estados Unidos da América.
Foto: HD Wallpaper
Era solteiro, tinha dinheiro e trabalho, não me faltava nada. Poderia faltar a pessoa para estar comigo, mas, naquele tempo não pensava nisso. Viajava, divertia-me, corria o Mundo.
 
Quando regressei de África com a minha filha adoptada, foi a felicidade no topo, o que podia eu querer mais. Estava feliz.
 
Passados 10 anos, continuava eu sozinho, tinha tido algumas namoradas mas não deu certo. Felizmente que não deu certo.
 
A minha filha adoptiva, já com 25 anos, formada, apaixonou-se por mim. E eu por ela. Acham que existe algo de mal nisto? Eu não.
 
Sempre a tratei bem, como filha, como amiga. Nunca lhe faltou nada. Tirou um curso, formou-se e foi viver com uma amiga. Eu, eu voltei a ficar sozinho, mas desta vez, tinha a minha filha que me visitava.
 
Numa das visitas, reparei que havia uma química entre nós. Ela tinha tido alguns namorados mas sem sucesso. Que poderia fazer eu, não consegui resistir e apaixonei-me.
 
Estamos casados a alguns anos, temos uma filha, uma vida normal e cheia de felicidade. Estamos a pensar em adoptar mais uma criança.
 
Obrigado Aconteceu na Minha Vida por publicar a minha simples história."
 
Enviado por email por John Rossi

Pub