Fui abandonada aos 9 meses, sobrevivi e conto como foi - Aconteceu na minha VIDA

Fui abandonada aos 9 meses, sobrevivi e conto como foi

O chamo-me Júlia, tenho 25 anos e conto o que Aconteceu na Minha Vida.

Antes demais quero agradecer ao Blogue Aconteceu na Minha Vida e ao Sr. Sérgio Figueiredo por dar esta oportunidade de contar a minha história.

Era uma menina de 9 meses, bebé ainda e fui abandonada pelos meus pais. Não sei muito sobre eles, mas o pouco que sei é que eram portugueses e de classe média. Não sei propriamente o que se passou para me abandonarem e também é coisa que não me interessa. Não deviam ser pessoas muito sérias e humanas, pois não existe razão nenhuma no Mundo para abandonarem filhos. Desculpem mas é assim que vejo.
Foto: Muhammad e os sufis
Aos 9 meses fui entregue a uma instituição que me acolheu e tratou muito bem. O que digo é que me acolheram de uma forma muito humana e com muito calor.

Quando tinha 2 anos fui adoptada por um casal que até hoje os chamo de pais. Sim, são e serão sempre os meus pais, para sempre. Com tanta coisa que ouço por ai, penso que tive sorte nas pessoas que me escolheram para filha.

Cumpri todos os caminhos que qualquer criança e adolescente cumpre, tive família, amigos, saúde, educação. Cumpri os deveres escolares como qualquer jovem, nunca chumbei um único ano. Tirei um curso, formei-me. Tive namorados, amigos de longa data.

O que não tive em abundância foi dinheiro. E por falar em dinheiro, os meus pais têm um emprego como qualquer português e também fizeram muitos sacrifícios por mim mesmo não recebendo um salário alto. Não sou a única filha deles, tenho mais 2 irmãos. Lindos, simpáticos e muito humanos. Não tivessem eles os pais que têm.

Agora, chegou a altura de repetir a história, namorar, casar, ter filhos e passar toda a história e formação que me passaram ao longo destes anos todos. Mas, quem escolhe o meu caminho sou eu e por isso, por mais difícil que quem está a ler esta passagem não goste, optei por não ter filhos. É verdade, não quero ter filhos, mas vou adoptar um.

E sabem porquê? Simples não é... Se tenho de repetir a minha história, vou tirar uma parte dela que acho a mais importante, dar oportunidade a uma criança de ter a mesma ou melhor vida que tive não sendo ela minha filha (o) biológica (o).

E assim vou completar o meu livro, esta será a última página da minha vida. Serei nessa altura a mulher mais feliz do Mundo.

Mais uma vez obrigado pela oportunidade de mostrar o que sinto......os que sou....e o que vou ser...

Enviado por: Júlia
Comente no Facebook

0 comentários:

Enviar um comentário