Pub

Quero-te (longe de mim)

Algo de muito errado passa-se comigo. Contigo. Connosco.

O que estamos a fazer? O que queres de mim? O que quero de ti?

Não sei o que pensar. O que sentir. O que fazer.
Foto: Sérgio Lemos Figueiredo
  Quero-te. Muito.

Quero-te longe de mim. Quero-te perto de mim.

Quero-te bem agarrado a mim. Mas não te quero.

Amo o teu cheiro. Odeio não poder senti-lo mais vezes.

Odeio a tua maneira de sorrir. O teu jeito de falar. A maneira com que me olhas. Odeio-te porque te amo.

Amo cada pedaço teu. Cada gesto teu.

Amo a tua forma de ser. De estar.

Mas apesar de tudo, odeio-te. Odeio-te por me dares esperanças e nada acontecer.
 
Odeio-te por te amar.

Cada dia que passa odeio-te mais.

A saudade aperta. A lágrima cai. E o dia passa.

És me tudo e não me és nada.

És quem eu mais odeio por te amar.

És a dor e a cura. És a saudade e a presença. És a tristeza e a alegria.
 
És parvo, chato, cusco, criança. Mas a pesar de tudo és a pessoa mais interessante, diferente e espectacular de sempre. 

És quem mais odeio. És quem mais amo.

Não gosto de ti.

Ana Santos

Fonte: Sabes Muito

Pub