Pub

No fundo, só te quero a ti

Estou perdido... Perdido tantas vezes e em tantas partes. Perdido em toda a parte.
 
Nunca pensei perder-me em ti tão facilmente, nas curvas da tua mente, nas curvas do teu corpo, nas curvas avistadas mais à frente, pois desde o inicio sabia que nos iríamos perder um dia. Só não sabia se seria em nós próprios ou longe um do outro.

Imaginei tanto... Tu sabes... Tantas possibilidades e muitas delas nem te as contei. Talvez por medo de nós não lá chegarmos, quando ainda agora mal tínhamos começado.
 
Foto: Sérgio Lemos Figueiredo
Recuando todos estes anos lembro, que foste a minha primeira verdadeira paixão e neste momento a derradeira! Foste a primeira a fazer-me amar... Amar a vida. Amar a escrita. Amar o mundo. Amar-te! Nada como hoje confesso, mas era amor, confesso. Todas aquelas pequenas lembranças oferecidas, de pequeno grande homem, eram a forma que eu tinha de te demonstrar o que sentia.
Hoje 10 Anos mais sábio sei que te consigo oferecer muito mais sem gastar um décimo.

Queria ficar mais tempo, ver-te sorrir mais tempo, mais vezes, mais intensamente. sem filtro, sem pudor, vergonha ou receio.

Queria ouvir mais mil e uma vezes essa gargalhada ridícula... Ridiculamente linda, ridiculamente verdadeira.

Queria ver-te sonhos nos olhos. Ver-te sonhos nos braços, depois do teu ventre crescer e gerar Futuro.

Queria acordar mais cedo para te poder observar serena, enquanto recuperas a beleza da vida que há em ti. Queria acordar mais cedo para te poder deixar um bilhetinho na porta do frigorífico, todos os dias para te lembrar o quanto te amo e o quanto sou feliz. Queria acordar mais cedo ao fim-de-semana para poder ficar contigo na cama, em conversas de almofada num dia frio e receber uma visita inesperada no nosso vale dos lençóis, de um pequeno fruto que se aninha entre nós afirmando ter frio.

Queria embebedar-me contigo, dizer parvoíces, trocar silabas e palavras. Rir de tudo, rir de nada e depois fazer amor contigo... Fazer sexo contigo... Ser-te sem dó nem piedade!

Queria dar-te a minha faceta de tolo quando estivesses desapontada com o mundo, triste com a vida e zangada com o Universo.

Queria ter a tua mão quando me perdesse, o teu abraço quando perdessem quando ganhasse ou simplesmente porque nos apetece.

Queria poder sentir os teus lábios nos meus vezes sem conta e embaciar os vidros do meu carro novamente "N" vezes!

Eu queria tanto... Tanto... Mas no fundo... Lá bem no Fundo...

Eu só te queria a TI!

Fonte: Sabes Muito

Pub


alegre (13) amor (163) Casamento (6) confições (197) destaque (180) divórcio (17) drama (12) elas (40) Ele (29) eles (38) familia (82) filhos (30) História (27) Mulher (18) Pedrógão Grande (6) Portugal (11) Relação (5) Repórter de memórias (3) Traição (10) triste (11) Viagem (10) viagens (41) vida (61)