Pub

Estava aqui a olhar para as estrelas e lembrei-me de ti

Estava aqui sentado, nesta noite quente, a olhar para estrelas e lembrei-me de ti. Sim, como elas, estás longe de mim.

Podia apanhar aquele avião e esperar que os ponteiros do relógio parassem, talvez podia agarrar uma e levá-la comigo.

 
Foto: Sérgio Lemos Figueiredo
O céu está limpo, consigo ver quase todas elas, mas vejo uma mais brilhante que as outras, será que és tu?

Lembrei-me que depois de tanto tempo, as memórias brilham mais que qualquer estrela. Podias ser a estrela encandescente que me aquecia quando tinha frio, mas não, encandescente ainda está o meu coração e mesmo com frio não aquece o suficiente.

Continuo sem deviar os meus olhos do céu, continuo convicto de que um dia vou ver mais uma vez aquela estrela a brilhar. Ela não me larga nem um segundo, não consigo levantar-me e ir dormir, é mais forte que eu.

O que podemos pedir mais, senão um momento de admiração do que é mais belo, consegues admirar as estrelas como eu? Eu consigo, mesmo com o céu nublado, e acredita, é uma beleza sem fim. É como a tua beleza, incondicionalmente sem fim.....

Podes vir ter comigo e passar uns segundos a olhar o céu? O infinito? Preciso de companhia para isso, a tua companhia.

Gosto de amar as estrelas, gosto de sentir falta delas, gosto de ver o teu rosto junto delas.

Vem, vem ter comigo e.....

Escrito por Sérgio Lemos Figueiredo

Pub